Répteis

Selecionando um réptil adequado e sadio

Selecionando um réptil adequado e sadio

Este pode ser o passo mais importante para obter-se sucesso na manutenção de um animal, pois se ele estiver doente, de nada adiantará o resto. Descreverei de forma rápida uma lista com itens a serem seguidos.

PROCEDÊNCIA: só adquira animais documentados, microchipados, com nota fiscal de compra e autorizados pelo IBAMA para sua comercialização, de locais idôneos.

BIOLOGIA: conheça bem as necessidades do animal a ser criado antes de adquiri-lo. Selecione uma espécie adequada a sua disponibilidade financeira, tempo disponível, espaço físico e o grau de sociabilização que pretende ter com ele (pegá-lo ou apenas olhá-lo?).

SAÚDE: este é um item complicado, onde um veterinário com prática no atendimento a répteis exóticos, poderá auxiliá-lo; mas darei algumas dicas para tentar minimizar uma possível escolha equivocada:

  • evite animais que apresentam magreza acentuada, apatia e que não queira alimentar-se;
  • evite animais com inchaço em qualquer parte do corpo, inclusive debaixo da pele;
  • evite animais com dedos, membros ou mandíbula fora da anatomia normal da espécie;
  • evite animais com problemas nos olhos e/ou portadores de regiões assimétricas de pigmentação escura excessiva, fora dos padrões normais da espécie;
  • evite animais que estejam letárgicos ou fora do grupo de animais no terrário, isolados e/ou com posicionamento anormal da cabeça e pescoço para a espécie;
  • evite animais com presença de ectoparasitas (carrapatos e/ou piolhos).

OBS:
É bom salientar que para alguns animais, certos comportamentos, que a princípio sugeririam algum sinal de patologia, são normais para aquele espécie; por isso, um profissional da área, seria a pessoa mais indicada para a escolha adequada de um réptil sadio!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar