CãesCães pelo mundo

Conhecendo cães pelo mundo – Bariloche (Argentina)

San Carlos de Bariloche é uma cidade turística situada na região da Patagônia ao sul da Argentina, quase fronteira com o Chile. Por ser um local posicionado no extremo do hemisfério sul, a Patagônia é conhecida como o “fim do mundo”. E existem cachorros por lá? Claro que sim! E são muitos, vivendo com extrema liberdade.

No inverno, Bariloche é o ponto de encontro dos esquiadores, justamente por estar encostada à Cordilheira dos Andes. Altos montes (“cerros”) cobertos de neve compõem a paisagem local. E em meio a todo esse frio e centenas de turistas se arriscando a dar os primeiros passos no esporte de inverno, lá estão os cães. Incrivelmente, os cachorros se acostumaram tanto às temperaturas baixas que passeiam pela neve completamente à vontade. Cumprimentam os turistas, deitam-se e rolam na neve. Alguns possuem coleira, indicativo que possuem um dono. Bem liberal, aliás.
Outros não possuem casa nem dono, mas são alimentados pela comunidade local.

Cão sem dono passeia na estação de esqui de Cerro Catedral

Em Cerro Catedral, uma famosa estação de esqui distante 20 quilômetros do centro da cidade, os cachorros podem ser vistos em todos os lugares, Enquanto no Brasil, caprichamos nas roupas de inverno de nossos cachorros, na Patagônia, mesmo em dias com temperaturas inferiores a zero graus, não se vê um cão sequer vestido, nem os de pelagem curta. E pode apostar que eles não ligam para o frio.

A boxer Índia acompanha os turistas em uma cavalgada de duas horas

A boxer Índia acompanha os turistas em uma cavalgada de duas horas Seguindo em direção oposta às montanhas, não muito longe, está a região das estepes argentinas. O clima é menos úmido e o relevo mais plano. É possível conhecer uma típica fazenda da região e fazer uma inesquecível cavalgada pelas montanhas com vista para os Andes. É claro que também nas fazendas os cães vivem soltos e fazem questão de acompanhar os turistas nos passeios.

O vento faz a temperatura se tornar quase insuportável, mas os cachorros não estão nem aí… O importante é participar!

No centro da cidade, fotógrafo oferece mãe e filhote para uma foto

Tanto nas montanhas como no centro da cidade, os São Bernardos fazem parte da paisagem. Mas atuam meramente como figurantes, aguardando para compor a foto de recordação que os fotógrafos locais oferecem aos visitantes. No Centro Cívico, uma bonita praça no centro de Bariloche à beira do lago Nahuel Huapi, não apenas cães adultos, mas também filhotes da raça, enrolados em agasalhos de inverno, passam o dia “posando” para as fotografias. Esse não é o local adequado para se manter um “bebê” São Bernardo, mas quem resiste a tirar uma foto com eles? Esses filhotes são oferecidos aos turistas para compra por cerca de 350 dólares. Os desavisados levarão um filhotinho para casa que se transformará num gigante de quase 100 quilos!

Cenas comum por toda Bariloche – cães grandes e sem dono pelas ruas

Em toda a cidade também podem ser vistos muitos cães sem dono. Os moradores consideram isso um grande problema, pois eles estão por toda parte. Noventa por cento deles são de raças grandes: labradores, pastores alemães, huskies siberianos e muitos mestiços dessas raças passeiam pelas ruas. Aparentemente mansos, todos andam soltos…

São alimentados por turistas ou aguardam uma refeição na porta das churrascarias. Dormem ao relento. O centro de controle de zoonoses da cidade, segundo os guias turísticos locais, não captura mais esses animais, por exigência das entidades protetoras. No entanto, as mesmas entidades parecem não oferecer abrigo suficiente aos cachorros e situações como as da foto podem ser facilmente presenciadas no centro de Bariloche.

  • Saiba mais sobre a vida dos cães na Suíça
  • Como vivem os cães no Japão?
  • Como vivem os cães abaixo de zero graus nos USA?

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar